Você mais próximo da FDSM!

Inscreva-se para saber das novidades!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Conheça os 8 erros mais comuns na escolha do cursos de graduação

Conheça os 8 erros mais comuns na escolha do cursos de graduação

Os cursos de graduação disponíveis na atualidade satisfazem aos mais variados perfis nas áreas de exatas, humanas e biológicas. A abrangência é tamanha que muitos jovens se veem perdidos na hora de decidir qual deles seguir.

Os aspectos a serem avaliados são muitos, e é possível que você esteja indeciso entre várias opções ou nenhuma, ainda buscando a mais adequada aos seus interesses.

Nós entendemos a sua preocupação com uma escolha tão importante quando se tem tão pouca idade, afinal, o mundo está apenas começando a se abrir diante de seus olhos.

Para ajudar você a tomar essa decisão, elencamos os 8 erros mais comuns na hora de eleger o ensino superior a ser trilhado.

Ficou interessado? Siga com a gente na leitura desse post!

1. Não se ater às tendências

Os cursos de graduação refletem as necessidades do mercado de trabalho e é altamente recomendável estar atento a essa demanda.

Não se trata de cursar o que está em voga, mas de alinhar suas expectativas às reais necessidades do mundo profissional fora da universidade.

A era da informação trouxe a tecnologia para o cotidiano das pessoas e dinâmica também para as relações trabalhistas, cabendo a você estar a par dessas atualizações também durante o ensino superior.

Avalie a realidade das pessoas formadas no campo de atuação de seu interesse, busque informações sobre a modernização de processos no ramo, analise o mercado hoje e a expectativa de crescimento para quando você se formar na faculdade.

2. Escolher só com base no retorno financeiro

Não estamos falando para você desconsiderar a remuneração média na área eleita, afinal, os rendimentos de seu trabalho vão promover bem-estar e colocar comida na sua mesa.

Levantamos o tópico para fazer um alerta: sua escolha deve ter equilíbrio e, por isso, seus gostos, interesses e afinidades não devem ser desconsiderados.

Como a recompensa financeira é boa e a identificação com o trabalho realizado também, opte por cursos de graduação que permitam aliar os dois. Realização pessoal e profissional estão muito próximas e desenvolver uma atividade gratificante reflete na sua qualidade de vida.

3. Não se informar sobre o curso

Informação é fator decisivo para fazer escolhas e o jovem da atualidade tem uma ferramenta poderosíssima em mãos: a internet.

Não é só isso: feiras de profissões, workshops e visitações são algumas oportunidades oferecidas em faculdades de todo o país para colocar os estudantes de ensino médio em contato com os cursos de graduação.

Além disso, congressos e simpósios normalmente têm vagas para ouvinte a um valor módico ou até gratuitamente. Assim é possível ficar por dentro dos termos técnicos, hábitos e debates do ramo desejado.

4. Focar apenas nas matérias

A grade curricular dos cursos de graduação é disponibilizada nos sites das universidades, e muitos alunos de ensino médio prestam atenção a ela na hora de decidir a que vão se candidatar no vestibular.

Embora ela seja, sim, um critério norteador muito importante, entenda: a graduação contempla áreas específicas, matérias afins e muito aprofundadas se comparadas àquelas da escola.

A aprendizagem é outra, vai além da resolução de exercícios teóricos e exige do aluno universitário maior entrega e estudo.

Tenha cautela e não faça uma análise superficial da grade curricular. Tenha em mente as disciplinas de seu interesse, bem como sua curiosidade de examinar e entender mais a fundo esses assuntos.

5. Atender ao desejo dos outros

Nessa etapa da vida é comum parentes, amigos, professores e vizinhos opinarem sobre seu futuro com base nas experiências e concepções deles. Os pais, principalmente, grande influenciadores dos filhos, são capazes de exercer forte pressão nesse sentido.

Não é raro ouvir o caso de alguém intencionado a cursar biologia, mas convencido pela família a fazer medicina.

Existe uma pré-concepção sobre os cursos de graduação; uma forma simplista de classificar os bons e os ruins — como se o simples fato de optar por um e não pelo outro fosse fator decisivo para você ter sucesso.

A melhor pessoa para decidir o que é bom para você é você mesmo! Ouça e aprenda, mas com o intuito de formar a sua opinião, e não pegá-la emprestada de alguém. Quem realmente se importa com você vai saber respeitar e apoiar sua decisão.

6. Optar pela faculdade, e não pelo curso

Com medo de se distanciar de amigos e familiares, muitos jovens acabam cometendo esse erro. Eles escolhem a universidade mais próxima de onde moram para continuar na mesma rotina e ambiente.

Um campus não oferece todos os cursos de graduação disponíveis na atualidade, e se fechar a mudanças pode obrigar você a cursar um ensino superior indesejado.

Na faculdade, ocorre a transição para a vida adulta. É um período transformador, de muito crescimento, e se fechar às novidades é viver essa experiência pela metade.

7. Ignorar a rotina profissional

Embora a universidade prepare o aluno para atuar no mercado de trabalho, a prática apresenta novidades e perspectivas diferentes da teoria.

A profissão fica quando a graduação acaba. Qual a melhor maneira de saber sobre ela senão se informando com quem já trilhou o caminho das pedras?

O profissional tem ciência dos prazeres e dificuldades do ramo, pode descrever a rotina de onde trabalha, funções, atividades desempenhadas, expectativas de crescimento e vertentes de atuação.

Acione seus contatos, procure vídeos no YouTube e faça perguntas: a pesquisa é fundamental para formar opinião e vai bem além dos próximos 4, 5 ou 6 anos de faculdade.

8. Achar que a escolha é um caminho sem volta

Desistir não é fracassar; é reconhecer que algo não serve para você e ter a coragem de recomeçar. Estamos em constante evolução, entrando em contato com pessoas novas e passando por experiências diferentes.

Viver é criar bagagem, e é perfeitamente aceitável que seus gostos e afinidades mudem com o tempo, refletindo nas suas escolhas.

O imediatismo da geração Y vê erroneamente as mudanças de rota como perda de tempo, transformando algo natural em erro e gerando frustração e culpa.

Não existe fórmula para o sucesso profissional. “Mais rápido” e “melhor” não são sinônimos!

Você é jovem e precisa manter a calma agora diante de tantos cursos de graduação para escolher. Essa é apenas a primeira decisão importante a ser tomada e a vida exigirá de você vários outros momentos como esse. Enfrente essa etapa como um treinamento para a vida adulta e, mesmo que demore algum tempo, você, com certeza, se sairá bem.

Curtiu o conteúdo? Deixe seu comentário no post. Queremos saber sua opinião!

    Sobre o Autor

    0 Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *